Ministério da Fazenda

AVENIDA PRESIDENTE ANTONIO CARLOS, 375

ANTIGO MINISTÉRIO DA FAZENDA | PROJETO DE LUIZ EDUARDO FRIAS DE MOURA, 1939

HUMBERTO COZZO (1900-1981) | BAIXO-RELEVO EM MÁRMORE, 1943 C.

Chamam-se métopas aos intervalos entre os tríglifos do friso dórico no templo grego. No edifício do Ministério da Fazenda, há 33 delas, representando as principais fontes de renda do país. No dia 21 de agosto de 1941, o escultor Humberto Cozzo encaminhou carta ao Dr. Ary Fontoura de Azambuja, engenheiro-chefe da comissão de construção do edifício, informando acerca do conceito por trás da realização das métopas da fachada: “As 16 métopas do lado esquerdo representando as forças naturais; as outras 16 métopas correspondentes à parte direita do edifício as forças espirituais, industriais e comerciais. A métopa central, para onde convergem as laterais, terá uma composição representando o Estado Novo, chave e força propulsora do progresso nacional.”

Parece-nos que o artista mudou de idéia quanto à realização desta métopa central, já que ela não parece fazer parte dos 33 relevos hoje existentes. A métopa de número 17 (a central, portanto) traz cinco jovens ajoelhados à frente da conhecida escultura da Vitória de Samotrácia.

Reproduzida acima está a métopa de número 33, que representa a criação de gado cavalar.

Algumas peças receberam a assinatura H. COZZO.

Anúncios

4 Comentários

  1. Deise S. Thomaz · · Responder

    Olá,
    Estamos fazendo um trabalho sobre o Palácio da Fazenda e sempre soubemos, inclusive por meio de documentos oficiais, que se tratavam de 32 métopas. Gostaria de saber como você teve acesso à carta de Humberto Cozzo enviada ao Engenheiro Ary de Azambuja, onde constavam as 33 métopas. A sua informação foi muito valiosa para nós.
    Obrigada,
    Deise

    Curtir

    1. Prezada Deise,
      Boa tarde! Obrigado pelo interesse no meu blog. As métopas são, de fato, 33, pelo simples fato de que eu as contei e fotografei todas. A referência bibliográfica inicial contendo a carta do escultor Humberto Cozzo veio do livro do Lauro Cavalcanti intitulado “Moderno e Brasileiro: a história de uma nova linguagem na arquitectura (1930-60)”, nas páginas 77-78).
      Um abraço cordial,
      Luiz Eugenio

      Curtir

  2. Boa tarde Luiz Eugênio,
    Só quero agradecer sua resposta e dizer que admiro o seu trabalho. Adoro observar detalhes da arquitetura do Centro do Rio. É um espetáculo a cada esquina. Vou comprar seu livro que deve ser show.
    Um abraço,
    Deise

    Curtir

  3. […] dia 20 de setembro de 2012, quando publiquei aqui sobre esse trabalho – https://orioqueorionaove.com/2012/09/20/ministerio-da-fazenda/ -, eu me referia às 33 métopas, mas mostrava apenas uma – a última, de número 33. Hoje […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: