Uma Fraternidade de filhos lusitanos

O nome era quase esse, amigos. Quem repara no número 170 da rua Buenos Aires – antiga do Hospício -, no Centro, onde hoje está instalada a loja Nova Pet Lazer, logo percebe estar diante de uma construção erigida por portugueses e para portugueses, tantos são os indícios ornamentais que nos remetem àquele país.

O prédio foi construído por uma instituição assistencialista portuguesa, como tantas que a cidade viu nascerem entre o final do século XIX e os princípios do século XX. Fundada no dia 8 de julho de 1882, foi somente por volta de 1909 que a Fraternidade dos Filhos da Lusitânia conseguiu estampar a expressão SEDE PRÓPRIA em suas comunicações, pois até então estavam instalados no sobrado vizinho, no número 172 da mesma rua.

Não se trata de uma fachada qualquer. A loja está finamente revestida em cantaria – em gnaisse facoidal, o típico granito carioca – e os andares superiores estão revestidos em alvenaria. O estilo arquitetônico adotado, como em tantas outras construções luso-cariocas do período, é o neomanuelino, remetendo ao sensacional estilo gótico português batizado em homenagem ao rei que impulsionou as grandes navegações de seu país no século XVI – Dom Manuel I, dito o Venturoso. Como em toda construção eclética nacional, contudo, também esta fachada deixa transparecer alguma vontade de ser “diferente”. Essa vontade deixou de lado, por exemplo, os característicos arcos ogivais do estilo original bem como a referência à esfera armilar, um elemento sempre presente nas típicas construções manuelinas portuguesas, e imiscuiu ornamentos mais próprios do Renascimento francês, como os elmos que emolduram o arco central do pavimento superior.

Comparemos esta fachada com a do Real Gabinete Português de Leitura, na cidade o exemplar remanescente mais próximo do estilo manuelino clássico, e perceberemos uma composição mais bem proporcionada, ordenada e disciplinada do que este nosso exemplo.

Não nos esqueçamos, ainda, que Portugal estava em plena efervescência política no período, prestes a destituir a monarquia e instaurar um regime republicano, tão jovem também em solo brasileiro. Ideais progressistas na Política eram acompanhados, pois, nas Artes e na Arquitetura, de projetos progressistas, e esse era o espírito da época – um espírito eclético por excelência.

Mas voltemos aos ornamentos da fachada. A platibanda é riquíssima. No centro dela vê-se o escudo de armas português com seus cinco escudetes formando a cruz de Cristo e seus sete castelos, ladeado por duas serpentes marinhas – animais heráldicos igualmente relacionados ao estilo manuelino. Uma sobreplatibanda vazada traz um friso decorado com oito cruzes de Malta, e suas laterais estão decoradas com ameias (estruturas militares de defesa destinadas a proteger os castelos medievais).

Confira mais imagens abaixo. Por hoje é só.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: