O RIO DE TODOS OS SANTOS: SÃO BENTO, 1

Igreja de Nossa Senhora do Monserrate do Mosteiro de São Bento, na Rua Dom Gerardo, 68, Centro, Rio de Janeiro. O contraste da pedra com a alvenaria caiada conferem à fachada um aspecto sóbrio e austero, típico do maneirismo português. (Fotografia Studio HMF, 1990 C.)
__________
São Bento, nesta escultura á frente da igreja, traz um báculo simplificado e exibe o livro com a Regra de São Bento.
__________
Vista da capela-mor com a talha dourada de Inácio Ferreira Pinto, de finais do século XVIII, posterior, portanto, à talha da nave.
__________
Um dos anjos tocheiros da entrada da Capela-mor, feitos pelos mestres imaginários Simão da Cunha e José da Conceição por volta de 1735. Mede cada um 220 cm.
__________
O teto da capela-mor tem 14 painéis a óleo pintados sobre tábuas entre 1670 e 1684 por Frei Ricardo do Pilar.
__________

Hoje é 11 de julho, Dia de São Bento!

Há muito o que escrever sobre este santo e a ordem religiosa por ele fundada. Lembremos da resistência dos monges beneditinos aos sucessivos ataques franceses à costa do Rio de Janeiro no início do século XVIII, da faceta educativa do Colégio de São Bento, fundado há quase dois séculos, e dos diversos terrenos ocupados pelos beneditinos desde sua chegada à cidade, e veremos que esta não será uma postagem curta – nem única!

Esta postagem traz uma novidade: as imagens estão encaixadas ao longo do texto, de modo a conferir maior conforto visual para o leitor. À leitura, então!

Bento de Núrsia nasceu no ano de 480 na cidade de Núrsia, na região da Úmbria – atual Itália. De família nobre, era irmão gêmeo de Santa Escolástica. Aos 20 anos abandonou a família e foi viver como eremita numa gruta. Em 528, fundou a Abadia de Monte Cassino, na região de Nápoles, também na atual Itália. Ali escreveu o que hoje se conhece como Regra de São Bento, plantando as sementes que ajudaram a Ordem Beneditina a se tornar uma das mais bem-sucedidas ordens monásticas do mundo.

Iconograficamente São Bento é representado com barba, na maioria das vezes, e com as vestes beneditinas. Seus principais atributos são um corvo com um pão envenenado na boca, um cálice de onde sai uma serpente ou um cálice quebrado – em alusão às tentativas de assassinato por envenenamento de que teria sido vítima; um livro, em alusão à Regra de São Bento; uma cruz; e o báculo, já que foi abade.

No Brasil, os primeiros monges beneditinos aportaram em Salvador, na Bahia, no ano de 1589, e já em 1590 dois representantes – Pedro Ferraz e João Porcalho – desembarcavam no Rio de Janeiro para disseminar a palavra de Deus. Constituem-se os beneditinos, pois, na segunda ordem religiosa a se estabelecer na cidade, atrás apenas dos jesuítas, que aqui chegaram junto com os fundadores, em 1565.

Após curto período abrigados na pequenina Capela de Nossa Senhora do Ó, na atual Praça XV, hoje desaparecida, os dois monges beneditinos receberam em doação uma vasta porção de terra junto ao morro hoje conhecido como de São Bento. Ali se instalaram, sob a condição – imposta pelos doadores, Manoel de Brito e seu filho, Diogo de Brito de Lacerda – de manter no local a invocação à Nossa Senhora da Conceição, já então praticada, bem como dar uma morada final própria e digna aos seus benfeitores.

A primeira exigência, como notamos, não se concretizou. A igreja acabou recebendo a invocação à Nossa Senhora de Monserrate. Já Diogo de Brito de Lacerda – ou pelo menos a lápide de mármore com seu nome[1] – repousa em paz bem no centro da igreja atual.

O projeto original da igreja, de 1617, é do engenheiro militar português Francisco Frias de Mesquita, cuja planta previa uma única nave. Em 1670, Frei Bernardo de São Bento Corrêa de Souza alterou o projeto original, conferindo-lhe três naves e alongando a capela-mor. As duas obras se iniciaram, respectivamente, em 1633 e 1670.

O frontispício em cantaria com seus três arcos é a parte mais antiga da fachada atual. Foi construído entre 1666 e 1669.[2]

Tanto a fachada como a talha interna são exemplos extremos em suas respectivas simplicidade e exuberância, podendo ser classificadas maneirista, a fachada, e barroco, o interior. Parecem querer transmitir uma mensagem ao homem cristão: que ele seja simples por fora e rico por dentro.

Painel de talha executado por Alexandre Machado Pereira.
__________
Detalhe da talha executada por Frei Domingos da Conceição da Silva no frontispício da capela-mor traz a data 1694.
__________

A igreja possui 8 capelas laterais, ditas de Irmandades. Na nave esquerda, sucedem-se as capelas de São Caetano, Nossa Senhora do Pilar, Santo Amaro e Santíssimo Sacramento – esta última considerada um dos expoentes máximos do estilo rococó no Brasil. Foram construídas entre 1685 e 1688.

Capela de São Caetano de Thiene.
__________
Capela de Santo Amaro.
__________
A talha da Capela do Santíssimo Sacramento é atribuída a Inácio Ferreira Pinto. Foi executada entre os anos de 1795 e 1800.
__________

Na nave direita, indo da entrada da igreja em direção à capela-mor, estão as capelas de São Brás, Santa Gertrudes, São Lourenço e Nossa Senhora da Conceição. Foram executadas entre 1677 e 1688.

Capela de Santa Gertrudes.
__________
Na Capela de São Lourenço, concluída antes de 1684, destaca-se seu principal atributo: a grelha com a qual foi martirizado pelos romanos no ano 248.
__________
A Capela de Nossa Senhora da Conceição foi comprada em 1689 por Manoel Fernandes Franco para servir de jazigo seu e de sua esposa.
__________

Os três portões atuais da igreja foram fundidos em ferro na Inglaterra em 1880, e substituíram os antigos, produzidos entre 1750 e 1754.

No pequeno vitral do óculo do arco-cruzeiro está a Medalha de São Bento, com a cruz e as iniciais CSPB, de Crux Sancti Patris Benedicti (Cruz Sagrada do Padre Bento), entre outras.
__________
Na talha dos arcos da nave estão doze santos beneditinos. Foram executados entre entre 1726 e 1735 por José da Conceição e Simão da Cunha.
__________

O arremate superior do para-vento, executado em 1733 por Simão da Cunha e José da Conceição, traz alguns atributos do santo, como o corvo, a cruz e o livro.
__________

Dois grandes lampadários de prata, pesando 227 kg cada, pendem do teto da igreja, na altura das capelas do Santíssimo, à esquerda, e de Nossa Senhora da Conceição, à direita. Foram moldados por Valentim da Fonseca e Silva – o Mestre Valentim – e executados por Martinho Pereira de Brito e João Paulo Meira entre 1781 e 1795.

O belíssimo forro do teto em madeira, pintado a óleo imitando mármore, foi realizado entre 1688 e 1691.
__________

Segundo o Guia da Arquitetura Colonial, Neoclássica e Romântica no Rio de Janeiro, o claustro da Igreja de Nossa Senhora de Monserrate, projetado em 1743 pelo engenheiro militar José Fernandes Pinto Alpoim, o Brigadeiro Alpoim, é o melhor do gênero na cidade do Rio de Janeiro.

Por hoje é só!


Fontes:

Alvim, Sandra. Arquitetura Religiosa Colonial no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; IPHAN; Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 1999.

Czajkowski, Jorge (org.). Guia da Arquitetura Colonial, Neoclássica e Romântica no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 2000.

Maurício, Augusto. Templos Históricos do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora Grafica Laemmert, 1946.

Rocha, Mateus Ramalho. O Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro 1590/1990. Rio de Janeiro: Studio HMF, 1991.


[1] Dom Mateus Ramalho Rocha OSB, no livro O Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro 1590/1990, informa que não é Brito de Lacerda que se encontra ali…

[2] Segundo Dom Mateus Ramalho Rocha OSB no livro O Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro 1590/1990.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: