A Villa Guarany

ANTIGA ESTAÇÃO E COCHEIRA DA LINHA DE CARRIS DA VILA GUARANI, 1883
Rua Pedro Alves, 210, Santo Cristo

Nesse momento em que a área portuária do Rio de Janeiro vem uma vez mais recebendo tantas modificações urbanas – que esperemos venham para melhorar a circulação viária e, mais importante, para estimular o desenvolvimento social da região – publicamos hoje sobre uma esquecida estação de bondes do passado, a Antiga Estação e Cocheira da Linha de Carris da Villa Guarany, escondida na Rua Pedro Alves, bem próxima a uma das artérias de maior fluxo viário da cidade, a Avenida Francisco Bicalho, no local onde esteve no passado a Praia Formosa.

Em função da enorme sucessão de aterros que a região sofreu ainda no Século XIX, e para entender melhor a antiga geografia do local, retirei uma breve explicação do livro “A Vitrine e o Espelho”, de Carlos Kessel: “O início do envolvimento de Carlos Sampaio com a remodelação urbana do Rio de Janeiro veio em 1887, quando foi convidado pelo engenheiro Luís Raphael Vieira Souto, detentor de uma concessão de 1879, para executar o projeto de arrasamento do morro do Senado, cuja terra seria utilizada para aterrar a extensa área compreendida entre o morro de são Diogo e o morro da Gamboa, unindo ao continente as ilhas dos Melões e das Moças e fazendo desaparecer as praias Formosa, das Palmeiras e o Saco do Alferes.”

Outra tentativa de explicação – desta feita visual – vem do trabalho executado em 1886 pelo grande marinhista italo-brasileiro Giovanni Battista Castagneto,  “Estação de Bondes e Cocheiras da Linha de Carris Vila Guarani na antiga Praia Formosa”, mostrado abaixo. Ali, pode-se perceber a lateral do prédio da companhia, preservado pelo Inepac por tombamento de 1966.

Castagneto_Villa Guarany

Uma vez entendida a geografia da região, voltemos ao que nos interessa mais proximamente. Trata-se do singelo baixo-relevo localizado na fachada principal da construção, no frontão voltado para a Rua Pedro Alves, visto abaixo: um burro puxa um bonde no qual estão o condutor, o cobrador e 3 passageiros. No alto do bonde está a inscrição “BONDS DA VILLA GUARANY”.

Não deixe de ver.

Baixo relevo do frontão da Antiga Estação e Cocheira da Linha e Carris da Villa Guarany

Anúncios

4 Comentários

  1. O Prédio é um verdadeiro marco histórico da cidade. Pena que ele corre risco de ser descaracterizado. Será que há algum tipo de tombamento?

    Curtir

    1. Prezado Fabio,
      Boa noite! Desculpa não ter respondido antes. O prédio da Villa GUarany, felizmente, está tombado pelo INEPAC desde 1966. Torçamos para que não aconteça um incêndio “acidental”, como tem acontecido com alguns outros velhos sobrados cariocas…
      Um abraço,
      Luiz Eugenio

      Curtir

  2. Sandro Rodrigues · · Responder

    Este quadro esta exposto em algum local no Brasil?

    Curtir

    1. Prezado Sandro,
      Boa noite! O quadro “Estação de Bondes e Cocheiras da Linha de Carris Vila Guarani na antiga Praia Formosa”, de 1886, (óleo sobre tela, 42 x 68 cm) pertence a uma coleção particular. Sendo assim, infelizmente não se encontra em exposição.
      Um abraço cordial,
      Luiz Eugenio

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: